INCT: Sua Importância e o objetivo por trás da formação do estudo


Para atender os interesses e necessidades dessa gama de associados, a NTC&Logística criou uma estrutura técnica, composta por vários departamentos técnicos, com especialização em transportes, e assistida por profissionais do mais alto gabarito e renomados no mercado, técnicos, advogados e professores.


Entre esses departamentos técnicos está o DECOPE – Departamento de Custos Operacionais e Pesquisas Técnicas e Econômicas, responsável por estudos técnicos, voltados à apuração de custos de transporte rodoviário de cargas e logística, estatística do setor, estudos macroeconômicos e formação de índices de custos referenciais do setor (inflação), dentre eles o INCTF – Índice Nacional de Custos de Transporte de Carga Fracionada e o Índice Nacional de Custos de Transporte de Carga Lotação, o INCTL, entre outros.


Os INCTF e INCTL têm como objetivo principal medir a evolução dos custos operacionais de transporte rodoviário de cargas e são índices do setor de transporte com grande repercussão e credibilidade, publicado no site da NTC e de todas as entidades que representam o transporte, bem como em outros meios de comunicação. Eles servem ainda como instrumento de atualização de contratos públicos e privados no mercado de frete.

Estrutura dos Índices

Do ponto de vista técnico, a fórmula de cálculo do INCT é um índice de LASPEYRES modificado e, portanto, caracteriza-se por ter pesos variáveis e quantidades fixas (base de ponderação constante).


A fórmula do índice de LASPEYRES modificada foi elaborada pelo Census of Bureau dos EUA, nos anos 70. É a fórmula de cálculo de número-índice mais usada no mundo inteiro. Contudo, como pressupõe quantidades fixas, o DECOPE atualiza a sua base de ponderação periodicamente.

Índices – INCT F e L

A estrutura da planilha de custos da carga fracionada que serve como base para o INCTF que é composto dos custos operacionais de transferência – caminhão trucado com baú de alumínio, dos custos de coleta e distribuição – furgão leve e caminhão ¾ com baú de alumínio e das despesas administrativas e de terminais. Nessa planilha não está contemplado a margem de lucro, impostos e nem pedágio.


Já a base do INCTL é composta dos custos operacionais de um cavalo mecânico e um semirreboque baú duralumínio com 3 eixos utilizado na operação de lotação, mais os custos administrativos e de terminais. A atualização dos preços dos insumos que compõem a planilha é feita mensalmente através de pesquisas de mercado.


Os principais insumos da estrutura de custos da carga fracionada são: salários dos motoristas, ajudantes e oficina, remuneração de capital, depreciação de veículos e equipamentos, seguros do casco do veículo e da carroceria, seguro contra terceiro, licenciamento, pneus, manutenção, combustível (óleo diesel e arla-32), lubrificação, rodoar, recapagem, óleo de câmbio e cárter, despesas administrativas, entre outras. O resultado da variação é mensal e está disponível no Site: www.portalntc.org.br.


Em função do peso dos insumos ser diferente para cada distância, combustível na longa e mão de obra na curta distância, por exemplo, o INCT apresenta-se em 5 faixas de quilometragem distintas:


  • Muito curta: 50 km

  • Curta: 400 km

  • Média: 800 km

  • Longa: 2.400 km

  • Muito longa: 6.000 km

No caso do INCT-F são contempladas também a variação dos custos para as distâncias nas operações de coleta e distribuição nas faixas:

  • Curta: 10 km

  • Média: 40 km

  • Longa: 90 km

Eng. Antonio Lauro Valdivia Neto

Assessor técnico da NTC&Logística. Especialista em transportes; Engenheiro de Transportes, pós-graduado e Mestre em Administração de Empresas. Assessor técnico da Associação Nacional do Transporte de Cargas – NTC.