Entrevista com Edmara Claudino

NTC&Logística segue com forte atuação nos bastidores políticos para defender interesses do transporte rodoviário de cargas


Com grande atuação no âmbito político da NTC&Logística, Edmara Claudino destaca as dificuldades do desenvolvimento do trabalho ainda por conta dos impactos da pandemia. Além disso, destaca o trabalho da entidade mesmo diante dos desafios e espera que em breve os trabalhos presenciais na Câmara possam ser retomados.


“A NTC&Logística nunca deixou de cumprir o seu papel, mesmo que via e-mail, WhatsApp e reuniões virtuais com os parlamentares, para continuarmos desenvolvendo o nosso setor. Agora estamos com a expectativa de que a Câmara reabra em breve para realizarmos um trabalho ainda melhor”.


Confira a entrevista completa:


Edmara, no ano passado nós conversamos aqui e falamos muito sobre as diferenças e dificuldades da atuação política da NTC em 2020 devido às restrições causadas pela covid-19. Como isso aconteceu neste ano? Ainda tivemos muitas restrições que atrapalharam o desenvolvimento do trabalho ou no decorrer do ano as coisas começaram a voltar à normalidade?


Resposta: Com relação ao trabalho no Congresso, nós continuamos na mesma: tanto a Câmara quanto o Senado estão fechados ao público, e a plataforma que foi desenvolvida para votações remotas continua sendo o nosso meio de atuação. Nós continuamos com muitas dificuldades para trabalhar porque, antes da pandemia, o que fazíamos era o corpo a corpo, então nós tínhamos a liberdade de levar os nossos posicionamentos aos deputados que eram relatores das matérias do nosso interesse. Hoje isso ficou muito mais complicado, por conta de os encontros serem remotos.


Apesar disso, a NTC nunca deixou de cumprir o seu papel, mesmo que via e-mail, WhatsApp e reuniões virtuais com os parlamentares, para continuarmos desenvolvendo o nosso setor.

Estamos com a expectativa de que a Câmara reabra em breve (ainda não temos nada oficial) para realmente voltarmos aos poucos o nosso contato próximo e assim realizarmos um trabalho ainda melhor.


Sabemos que a NTC possui uma forte atuação política. Gostaríamos de saber quais foram as principais frentes políticas em que a entidade atuou neste ano de 2021?


Resposta: Realmente nós temos um trabalho intenso aqui em Brasília, e por isso trabalhamos em diversas frentes neste ano.


A primeira delas que destaco é a desoneração da folha de pagamento, sobre a qual estamos atuando fortemente para conseguirmos prorrogar. Acreditamos que esse é hoje o projeto mais importante para o empresário do transporte. Não está sendo fácil, tendo em vista que o trabalho está sendo realizado de forma remota, o que complica a nossa atuação. No entanto, a NTC faz parte de um grupo dos 17 setores, e nós estamos fazendo o possível e o impossível para que a desoneração da folha de pagamento seja votada e concretizada e que possa continuar dando um respiro ao setor.


Destaco também o Documento Eletrônico de Transporte (DT-e). A NTC trabalhou diretamente com seu relator para aprimorar o texto que foi enviado pelo governo, e agora estamos aguardando para fazer parte desse grupo de estudo da regulamentação da lei.


Outra questão é a aprovação da privatização dos correios, que acreditamos ser de total importância para o segmento e para o trabalho diário com a RDC 304, que é um projeto importante para o nosso setor e que busca aprimorar a resolução da Anvisa quanto ao transporte de medicamentos.


Por último, mas não menos importante, nós conseguimos, por meio do deputado Paulo Caleffi, a aprovação do nosso primeiro Seminário Trabalhista. Realizado em 25 de outubro, o seminário abriu um espaço muito importante e proveitoso com a Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados graças ao trabalho desenvolvido pela NTC nas articulações políticas.


Como a NTC tem observado a movimentação política por trás das reformas administrativa e tributária? Podemos ter novidade nos próximos meses?


Resposta: Nós sempre vamos manter a esperança, mas particularmente estou bem desanimada com relação a essas questões. A reforma tributária não anda, e a reforma administrativa, que era importantíssima, também está parada.


Acredito que o tamanho do estado tem atrapalhado bastante o desenvolvimento da economia e da sociedade de maneira geral. Espero que tenhamos mais privatizações e que realmente as reformas que estão sendo pedidas possam ser levadas adiante, mas pessoalmente não vejo um cenário muito positivo nesse momento.


Para finalizarmos o nosso bate papo, gostaria que você nos falasse um pouco da sua expectativa. O que você espera para 2022, observando todo esse movimento político?


Resposta: Em primeiro lugar, espero que o Brasil possa realmente voltar a crescer, que as vacinas continuem minimizando os efeitos da pandemia e que possamos ter um horizonte positivo em 2022.


Esperamos que o Congresso reabra o mais rápido possível para voltarmos a realizar nossas atividades pessoalmente, tratando das preocupações e as necessidades do setor de transporte com mais velocidade. Também desejo que a desoneração seja aprovada para que as empresas possam abrir novas vagas de trabalho. O Brasil é um país muito rico, e precisamos voltar a ter uma expectativa positiva.


Confira a entrevista na íntegra: