SETCESC | Reinventar-se para não sucumbir



O ano de 2020 é para ser esquecido? Não, muito pelo contrário! Ele nos trouxe lições importantes. A pandemia impôs a necessidade de nos reinventarmos para não sucumbirmos, frente à paralisação forçada da economia em quase todos os setores, impactando diretamente o transporte rodoviário de cargas (TRC).


As incertezas foram expostas, com uma queda brutal dos negócios. Já nos primeiros dias, uma queda de quase 30% no volume de carga transportada em todos os segmentos. Esse índice atingiu um máximo de 45,2% após cinco semanas de isolamento social e de empresas operando apenas o essencial.


O que vimos foi o surgimento de um trabalho solidário entre as empresas. Um espírito de união raramente observado, mesmo a distância. Foi ainda momento para revelar o espírito de liderança de colaboradores e dirigentes.


As plataformas virtuais de videoconferência passaram a fazer parte de nossa rotina, deixando para trás as reuniões presenciais. Mesmo com a necessidade de se adaptar ao “novo normal”, os encontros pelo mundo digital se tornaram produtivos. Talvez bem mais que pessoalmente, nos quais muitas vezes fugimos do foco e tornamos tudo mais longo.


Nas ações preventivas, é importante destacar o trabalho desenvolvido pelo SEST SENAT, com apoio da CNT, NTC&Logística, ABTC, federações e sindicatos, no suporte aos trabalhadores do TRC seja com alimentos, com material de higiene ou com a ampla testagem.


O que esperar para o futuro? Evidentemente a incerteza prosseguirá enquanto não houver uma vacina contra a covid-19. Os desafios são gigantescos. O TRC já deu alguns sinais de recuperação, mas temos muita estrada para percorrer.


Precisamos estar preparados para encarar esse novo normal tomando decisões mais assertivas. Não existe margem para erro sob pena de sucumbir.


Confira a mensagem enviada pelo presidente

Osmar Ricardo Labes

É presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina (SETCESC), com mandatos entre 1990 a 1996, reassumindo o cargo em 1999 e permanecendo até hoje. É formado em Economia pela Universidade Regional de Blumenau (Furb), com pós-graduação em Gestão de Trânsito e Meio Ambiente pela Estácio de Sá. Atua como empresário do TRC desde 1971 e já no ano seguinte como líder sindical patronal. É fundador da Cooperativa de Crédito dos Empresários de Transporte do Sul do Brasil (Transpocred). Além da presidência do SETCESC, é vice-presidente regional da FETRANCESC, conselheiro regional do SEST SENAT, coordenador da Intersindical Patronal de Blumenau e Região, conselheiro administrativo da Transpocred e Conselheiro do CETRAN/SC.