ABTLP | Novos desafios no transporte rodoviário de produtos perigosos


A pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela covid-19, derrubou a economia global em 2020, o que acelerou o futuro e colocou a sociedade diante de desafios para os quais ainda não estava preparada.


A necessidade de isolamento social para conter o avanço da doença fez os principais setores da economia sofrerem um impacto. A indústria foi a mais prejudicada, pois somou uma redução brusca de demanda à paralisação da produção.


As mudanças também alcançaram as entidades do transporte rodoviário de cargas, que se mobilizaram rapidamente diante do novo cenário de pandemia e isolamento social para atender às novas demandas. Além disso, o transporte de cargas foi definido como atividade essencial para garantir que a população tenha itens básicos de sobrevivência.


Em meio à pandemia, a Associação Brasileira de Transporte e Logística de Produtos Perigosos (ABTLP) teve que inovar e se adaptar aos novos impactos e transformações. Isso incluiu inovação nas mídias digitais, palestras sobre soluções de logísticas, pesquisas inovadoras, participações em congressos e em reuniões e importantes projetos.


A associação surgiu em 16 de outubro de 1998 motivada pela necessidade de um grupo de transportadores de combustíveis de criar uma entidade para representá-los juntos ao Conselho Nacional de Petróleo (CNP). Com isso, acharam oportuna e necessária a criação de uma associação para as negociações tarifárias no transporte de produtos perigosos. Hoje somos uma entidade conhecida nacionalmente que oferece suporte a vários sindicatos e federações e que dissemina conhecimentos da legislação do transporte de produtos perigosos a todo o setor de transporte rodoviário do Brasil. Um dos nossos objetivos é continuar atuando para melhorar o ambiente de negócio do transportador de produtos perigosos.


Com a pandemia, o setor de produtos perigosos – que inclui produtos químicos, combustíveis, gases, corrosivos e outros – se tornou essencial, pois esses produtos são necessários à produção de itens para o agronegócio, para higiene domiciliar ou pessoal e para medicamentos. A ABTLP estará sempre buscando inovar e buscando que nossa entidade ganhe mais capacitação técnica a fim de melhorar e de incrementar o serviço oferecido a nossos associados.


José Maria Gomes

Presidente da Associação Brasileira de Transporte e Logística de Produtos Perigosos (ABTLP) e diretor da QLT.